Controle de inadimplência: 5 dicas para utilizar no varejo

Sua organização faz controle de inadimplência? Apesar de alguns indicativos de que o tsunami econômico que tirou o consumidor das lojas nos últimos anos esteja de saída, as empresas devem ainda se cercar de estratégias inteligentes de controle, cobrança e recuperação de crédito.

Segundo dados do SPC, a inadimplência do consumidor recuou 3,8% nos 12 meses anteriores a janeiro de 2018. Porém, apesar do controle da inflação e dos juros mais baixos, o endividamento, de forma geral, ainda é elevado. Em São Paulo, por exemplo, 56,3% terminaram 2017 com algum tipo de dívida.

Partindo da consciência de que as operações de crédito estão sujeitas à frustração de receitas, é preciso uma sistemática de acompanhamento desse fluxo. Neste post, você vai saber como!

Quais são os tipos de inadimplência?

A inadimplência do consumidor impacta drasticamente o equilíbrio financeiro das organizações, especialmente porque boa parte das matérias-primas no varejo é adquirida a prazo.

É preciso ter estratégias para lidar com todos os perfis de inadimplentes existentes no mercado: devedor ocasional (que enfrenta problemas pontuais), viciado/negligente (mal organizado financeiramente) e mau pagador (má intenção prévia). Vamos ver algumas dicas para evitar a insolvência e/ou remediar a não confirmação de receitas.

5 dicas para criar um bom controle de inadimplência

1. Oferecer uma área do cliente altamente interativa

Controle de inadimplência se faz com oferecimento de recursos para facilitar a quitação. Dessa forma, é imprescindível que sua loja tenha uma área do cliente para emissão de boletos com valores/vencimentos atualizados e alteração da data de pagamento.

Antes de pensar em modificar o sistema de cobrança, é preciso oferecer recursos como os citados acima; essas ferramentas, aliadas a políticas flexíveis de renegociação, certamente ajudarão sua loja a reduzir o percentual de insolvência.

2. Estimular a renegociação

Acredite, o custo de recuperação de crédito (judicialmente) é pior que as eventuais perdas em um processo de negociação. Segundo pesquisas, organizações que oferecem atendimento multicanal, ouvidoria e alternativas de mediação registram redução de 11% no valor contingenciado para litígio por cliente. Não é pouca coisa.

Sua empresa possui alguma orientação quanto a eventuais renegociações?

3. Ter um bom método de gerenciamento de crédito

A literatura especializada tem como regra geral ampliar o crédito dos melhores clientes, aumentando lucros, e reduzir/negar aos mais problemáticos, reduzindo as perdas.

Além disso, é preciso monitorar operações de crédito já realizadas, com revisões periódicas em dados cadastrais e relatórios de órgãos de proteção ao crédito. Isso se faz, evidentemente, com o auxílio de Inteligência Financeira, variável necessária, inclusive, para a consolidação de uma régua de cobrança verdadeiramente eficaz.

4. Ter uma régua de cobrança efetiva

Sua empresa tem algum follow-up na confirmação do crédito? Exemplos:

  • envio automático de uma mensagem 2 dias antes do vencimento dos boletos e outra 3 dias depois;
  • remessa de carta de cobrança sem negativação;
  • terceirização da cobrança extrajudicial;
  • recuperação de crédito (judicial).

O ideal é que esse fluxo seja personalizado segundo o comportamento de consumo e pagamento de cada consumidor. Isso exige, evidentemente, uma boa gestão de recebíveis: você sabia, por exemplo, que 90% dos empresários não têm controle algum sobre o montante a receber diante de milhares de operações mensais com débito/crédito?

5. Estimular as vendas no cartão de crédito/débito

Uma saída para prevenir os não pagamentos é criar facilidades para que os consumidores comprem com cartões de crédito ou débito. Já que as lojas pagam taxa de administração para ter essa possibilidade, vender com cartão faz com que os riscos de inadimplência sejam repassados para as administradoras.

Como as instituições financeiras asseguram o pagamento ao lojista, os riscos de frustração de receitas (muito comum nos cheques) são praticamente eliminados nessa perspectiva.

Leitura finalizada, seja referência e divulgue todas essas informações sobre controle de inadimplência aos seus contatos. Compartilhe este post nas suas redes sociais!

 

 

 

21.08.2018

Postado em Maquininha, Meios de Pagamento, Vendas

Nenhum Comentário