Afinal, como fazer a sua empresa crescer?

Ter uma boa ideia, um serviço diferenciado, colaboradores bem capacitados, as contas no azul e uma ótima reputação com o público são bons indicadores de que seu negócio vai bem. Contudo, e para fazer a empresa crescer? Como definir estratégias, planejar, e, principalmente, colocar a mão na massa para prosperar?

A exigência e o dinamismo do mercado pedem por inovação, pensamentos fora da caixa e batalhar muito para não apenas se estabelecer mas crescer constantemente. Definir metas a curto, médio e longo prazo é importante para conhecer seus objetivos e, principalmente, qual caminho deve traçar para atingi-los.

Se você quer mesmo fazer sua empresa crescer, precisa adotar estratégias inteligentes. Confira as seis dicas que listamos abaixo e veja como colocá las em prática para fazer seu negócio prosperar!

Investir em recursos humanos

Por melhor que sejam seu produto ou serviço, sem colaboradores capacitados, bem treinados, motivados e dispostos a crescerem junto com você, é difícil sair do lugar. E para garantir que você tem ao seu lado os melhores funcionários que poderia ter é importante investir em recursos humanos.

Não somente para acertar nas contratações, mas também para desenvolver estratégias de engajamento e aprimoramento, é necessário focar no setor de RH. O capital humano sempre foi e sempre será o bem mais precioso de qualquer empresa, mesmo diante de tanta inovação e tecnologia.

Equilibrar o financeiro e a satisfação do cliente

Para que a empresa cresça, é essencial obter bons resultados financeiros, conseguindo não somente estabilidade como também lucro. Entretanto, não é indicado buscar o provento a qualquer custo. É preciso equilibrar o lado financeiro com a satisfação do cliente.

O foco da empresa não deve ser apenas prosperar, mas sim conquistar cada vez mais pessoas. Quando o objetivo é a satisfação da clientela, o aumento do lucro acaba tornando-se um resultado. Se todas as ações são tomadas para que o consumidor seja fidelizado, involuntariamente, tal fidelização gerará um aumento das vendas, e, consequentemente, melhores desempenhos financeiros.

Apostar no franchising

Se seu negócio é rentável e diferenciado, porque não apostar no franchising? Por meio das franquias, é possível crescer com cautela, sem precisar de alto investimento. Na prática, você vai repassar aos seus franqueados o seu modelo de operação, transferindo o seu know-how, produtos e serviços a outros pontos comerciais gerenciados por outros empresários.

Na prática, você ganha, além de notoriedade no mercado e a possibilidade de reforçar sua marca e conquistar mais clientes, participação nos lucros, royalties, direitos de uso de imagem entre outros fatores que fazem a diferença.

Contar com uma boa consultoria

Você já sabe que a franquia é uma boa ideia, mas como iniciar um modelo de franchising que seja eficiente e rentável? Se aventurar sozinho pode causar inseguranças e fazer você enfrentar dificuldades desnecessárias. Por isso, o ideal é buscar uma consultoria especializada em transformar empresas em franquias.

Com toda assessoria necessária, o processo é feito de maneira segura e com mais autoridade. Você recebe auxílio com relação às questões jurídicas, de marketing, definição de identidade da marca, divulgação, passagem para os franqueados e muito mais, ou seja, se resguarda em todas as frentes. E faz sua empresa crescer de maneira segura, planejada e estruturada.

Enfrentar a concorrência

Não temer a concorrência, mas conhecê-la e enfrentá-la — esse é o lema do sucesso. É importante conhecer quem compete com você no mercado, e buscar ser melhor. Seja no preço, na qualidade, no relacionamento com os clientes ou no relacionamento estabelecido com eles, é preciso enfrentar a competição de cabeça erguida.

Não estamos dizendo para você ir à guerra, mas sim superar sua concorrência agregando valor ao seu serviço ou produto. Apesar de produtos e metodologias poderem ser replicados, excelência e talento não podem. Por isso, invista sempre no seu pessoal e difunda o mindset de satisfação do cliente em primeiro lugar.

Considerar o licenciamento e o MMN

Além das dicas listadas acima, você também pode considerar outras duas soluções. O licenciamento e o marketing multinível (MMN).

O licenciamento de produtos consiste em uma possibilidade que exige baixo custo e gera aumento de faturamento para a empresa, na medida em que implica na permissão concedida a outros empresários de utilizarem seu produto ou serviço. Você recebe royalties e pode ver seu negócio crescer sem precisar investir.

Já o marketing multinível é um modelo de remuneração em alta no mundo todo. Ele consiste no pagamento de bônus, prêmios e comissões a revendedores de produtos. Na prática, implica no recrutamento de distribuidores e revendedores que estarão na linha de frente, comercializando seus produtos com diversos clientes.

Diferentemente do conceito de pirâmide financeira, é baseado em fundamentos éticos e legais. Por isso, requer muito empenho dos profissionais, mas também oferece boas recompensas. Todo revendedor é também empreendedor, já que lucra a partir do trabalho desenvolvido com vendas diretas de produtos e serviços ou ainda indicando novos revendedores.

Conclusão

Conforme mostramos ao longo do texto, fazer a empresa crescer não é uma tarefa fácil. É preciso investir, definir um plano estratégico e batalhar muito para colocá-lo em prática. Entre as seis dicas que explicamos, sem dúvidas, a mais vantajosa é apostar no franchising e na consultoria. Dessa forma, é possível expandir em um ritmo acelerado porém com cautela.

Se sua organização é diferenciada e bem-aceita pelo público, por que não difundi-la? A melhor maneira de crescer sem precisar lidar com alto investimento e capital de giro, novas contratações de funcionários e ainda as operacionalidades da gestão do dia a dia é, sem dúvida, apostar no franchising tendo ao seu lado uma empresa de consultoria especializada em expandir negócios.

Agora você já conhece as principais ferramentas para fazer a empresa crescer e prosperar! Que tal aprofundar os conhecimentos com relação ao franchising e licença de uso de marca?