10 dicas para escolher a melhor máquina de cartão para o seu negócio

Muitos empreendedores têm uma dúvida comum: entre tantas, qual é a melhor máquina de cartão? Depende do perfil e das necessidades da sua empresa e, por isso, não há receita. Porém, há algumas características que você precisa analisar para ter segurança nessa decisão. E é sobre elas que vamos falar neste artigo. Confira!

Como escolher a melhor máquina de cartão para o seu negócio

Não faltam opções de maquininhas no mercado. Algumas cobram taxa de adesão, outras mensalidades, outras são alugadas, outras são vendidas, e assim por diante. É preciso avaliar as necessidades da sua empresa e compará-las ao serviço oferecido pelo fornecedor. Veja o que analisar:

Dica 01 – Características do seu negócio:

Por exemplo, se você tem um restaurante, é possível que grande parte dos seus clientes queira fazer o pagamento com cartões de vale-alimentação ou refeição. Logo, é importante que a máquina escolhida aceite essas opções para que o seu estabelecimento não deixe os consumidores na mão.

Já se estamos falando de uma loja ou de um supermercado com diversos caixas, é importante considerar que você vai precisar de uma solução TEF para atender ao público. Se sua empresa oferece o serviço de delivery, é necessário que a máquina de cartão seja móvel e que funcione facilmente durante a entrega.

Dica 02 – Estrutura da sua empresa:

Um ponto que exige atenção nessa escolha diz respeito ao modo de funcionamento da máquina. A cada transação, é necessário que o equipamento se comunique com bandeiras e bancos e, para isso, uma boa conexão com a internet é fundamental.

Neste sentido, há máquinas que funcionam com Wi-fi, com chips de operadoras de telefonia, com o apoio do celular via Bluetooth ou cabo ou, ainda, máquinas fixas, conectadas à linha telefônica ou banda larga.

Imagine, por exemplo, que o seu estabelecimento fique em uma área rural, em que o sinal de telefonia móvel é fraco e instável. Neste caso, optar por uma maquininha que funcione com chip pode não ser uma boa ideia.

Dica 03 – Preço dos produtos ou serviços:

É fundamental entender quais são as prováveis formas de pagamento preferidas pelo seu consumidor e isso varia também de acordo com o valor dos seus produtos.

Pense em uma loja de móveis que comercializa produtos sob medida. Nesse tipo de comércio, é comum que as vendas sejam parceladas, já que o valor dos itens costuma ser maior. Por isso, é fundamental que, ao escolher a maquininha, o dono do negócio procure por serviços que promovam taxas menores para esse tipo de operação.

Por outro lado, se estamos falando de um salão de beleza ou de um restaurante, locais em que os serviços costumam ter um valor mais baixo, é possível que a maioria dos pagamentos seja feita no débito ou crédito à vista. Assim, vale buscar taxas mais baixas para esses tipos de transação.

Dica 04 – Disponibilidade de bandeiras:

Caso você receba uma grande quantidade de consumidores, é provável que eles utilizem bandeiras diferentes e, então, pode ser um diferencial oferecer o maior número possível de opções.

Porém, o volume de clientes não deve ser o único aspecto analisado, já que de nada adianta disponibilizar várias alternativas de bandeiras e pagar um preço muito maior por isso. Desse modo, o ideal é, além de analisar o fluxo, verificar a preferência do consumidor.

Há regiões do Brasil, por exemplo, em que o uso de algumas bandeiras específicas é mais comum, enquanto outras são bastante utilizadas em todo o país. Então, vale identificar as opções mais utilizadas pelos seus clientes.

Dica 05 – Forma de aquisição da maquininha:

Ao procurar por a melhor máquina de cartão para o seu negócio, você vai perceber que existem opções em que o equipamento é vendido e outras em que é alugado a partir do pagamento de mensalidades. Novamente, a decisão por uma ou outra alternativa também depende das características da sua empresa.

Se você é dono de uma pequena empresa e não utiliza a máquina com tanta frequência, pagar a mensalidade pode ser um custo alto. Já se você precisa de um grande número de máquinas e também tem um grande número de transações mensais, alugar os equipamentos pode ser mais vantajoso do que comprá-los.

Em qualquer um dos casos, o importante é analisar de que forma os custos com a máquina de cartão podem impactar no seu orçamento mensal. Além disso, também é essencial verificar se as empresas cobram taxa de adesão.

Dica 06 – Taxas por transação:

Falamos sobre a importância de verificar o preço dos produtos ou serviços para identificar quais são as formas de pagamento ― entre débito, crédito à vista e parcelamento ― mais comuns no seu negócio.

Cada empresa prestadora desse serviço costuma aplicar taxas diferentes para cada transação. Assim, é fundamental conhecer quais são os valores praticados em relação à operação mais comum para, então, avaliar qual é a mais vantajosa em relação a esse preço.

Dica 07 – Tempo para receber:

Quando a venda é feita no débito, é comum que o dinheiro caia na conta da empresa de forma mais rápida, em até dois dias após a transação. Já em operações que utilizam o crédito à vista ou parcelado, esse período costuma ser muito maior e pode chegar a até 30 dias.

Por isso, é essencial consultar cada operadora sobre esses prazos e verificar se há alguma opção que atenda às necessidades do seu fluxo de caixa. Também é importante deixar as finanças organizadas para que seja possível manter o negócio funcionando com eficiência até receber o pagamento.

Dica 08 – Acesso ao dinheiro:

Além do tempo para receber, outro fator relevante é a forma pela qual o dono do negócio terá acesso ao dinheiro. Muitas empresas de maquininhas são vinculadas a um banco e solicitam que o cliente abra uma conta em determinada instituição financeira.

Caso você já tenha conta em determinado banco, vale a pena conferir se existe alguma condição especial em relação à aquisição da maquininha por quem já é cliente. E se você não possui conta, é importante avaliar se deseja abri-la em um novo banco.

Dica 09 – Proteção contra fraudes:

Cartões de crédito e débito ainda são ferramentas muito utilizadas em fraudes. Por isso, para que você não saia no prejuízo, é importante verificar quais medidas as empresas que oferecem soluções em meios de pagamento oferecem para garantir a segurança dos clientes.

Dica 10 – Facilidades na gestão financeira:


Um diferencial que algumas empresas de maquininhas oferecem é a possibilidade de controlar da melhor forma a gestão das finanças da sua empresa. O processo de auditoria de pagamentos é um exemplo disso. Essa prática consiste em auditar as informações fornecidas pelas operadoras com os seus registros internos de recebimento para verificar se os repasses foram feitos nos prazos e valores corretos.

O ideal é que a empresa fornecedora da solução em meio de pagamento facilite esse processo, permitindo que o dono do negócio economize um tempo valioso em vez de ficar conferindo os recebimentos de cada transação. Algumas empresas também oferecem relatórios e outros dados qualificados sobre o panorama financeiro da empresa, o que ajuda o gestor a controlar melhor o dinheiro que entra no caixa.

Está pronto(a) para escolher a melhor solução em meio de pagamento para o seu negócio?

Há diversos fatores que precisam ser analisados no processo de escolha da solução de pagamento ideal para o seu negócio. São as características da sua empresa e também das taxas oferecidas por cada operadora que poderão dizer o que é mais adequado para o seu empreendimento aumentar a conversão de vendas.

Pensando nisso, pesquise e conheça cada uma das opções do mercado. E se você já estiver nessa busca, entre em contato com a Multiplus Card e explore o universo dos meios de pagamento.

Fale agora com um especialista em meios de pagamento: 0800 777 8134 ou via e-mail comercial@multipluscard.com.br

27.01.2020

Postado em TEF, Vendas

Nenhum Comentário